Sobre Alagoinhas

Cidade de Alagoinhas

Alagoinha é uma cidade brasileira que está localizado no leste da Bahia. Sua área é de 734 km² e sua população era em 2010 de 142.160 habitantes, tendo portanto uma densidade demográfica de 215,00 hab/km².

Limita-se ao norte com o município de Inhambupe, ao sul com o município de Catu, a leste com o município de Araças, a oeste com o município de Aramari, a nordeste com o município de Entre Rios e a sudoeste com o município de Teodoro Sampaio.

Seu nome se deve aos rios Sauípe, Catu, Subaúma e Quiricó, às lagoas e córregos existentes na região. E assim sua água é considerada de excelente qualidade, sendo uma de suas maiores riquezas, e que faz parte do aqüífero que vai desde Dias d'Ávila a Tucano.

Alguns alagoinhenses se destacaram bastante no campo da literatura, como Maria Feijó, José Olívio Paranhos Lima, o jovem escritor, Gabriel Matos, o poeta, dramaturgo Lázaro Zacariades, o poeta, professor e pesquisador acadêmico Ednaldo Soares, publicado no Brasil e na Itália, e o escritor e editor Adson Vasconcelos.

História

Seu povoamento foi iniciado no final do século XVIII, quando um padre português fundou uma capela no seu território e daí começou a próspera vila em função da chegada de imigrantes e da passagem da estrada de boiadas, acesso para o norte e para o sertão, motivo do título dado por Ruy Barbosa de "Pórtico de Ouro do Sertão Baiano".

Enquanto vila, Alagoinhas recebeu vários nomes, os quais foram Freguesia da Água Fria, Freguesia de Santo Antônio das Lagoinhas e posteriormente Villa de Santo Antônio d'Alagoinhas. Este último nome, foi o último como vila, que depois foi desmembrada da Vila de Inhambupe, para ser emancipada como Município de Alagoinhas.

Em volta da igreja de Santo Antônio várias casas foram construídas, desse modo o povoado foi elevado a vila, através da Resolução Provincial 442 de 16 de junho de 1852. Mais tarde, do mesmo modo, causado pelo desenvolvimento da vila, que era gerado e norteado pela estação ferroviária, a qual era o centro de atividades econômicas, devido ao grande fluxo de pessoas e mercadorias, foi elevado a município de Santo Antônio de Alagoinhas, sendo desmembrado do município de Inhambupe.

Segundo o IBGE, o distrito de Alagoinhas foi criado no dia 15 de outubro de 1816, pertencendo a Inhambupe até 16 de junho de 1852, quando se tornou um município. A emancipação política de Alagoinhas foi oficializada há 153 anos, no dia 2 de julho de 1853, com a posse da primeira Câmara Municipal e do presidente do Conselho, o coronel José Joaquim Leal.

Em 1964 foi descoberto um poço de petróleo no município, o MG-1-BA. Três anos depois já havia 30 poços, motivo que fez com que a Petrobras se instalasse na cidade de Alagoinhas, gerando seu desenvolvimento e aumentando os investimentos, mas também crescimento desordenado, deixando várias pessoas sem saneamento básico e acesso aos serviços de saúde.

Com o desenvolvimento ferroviário e a descoberta de poços de petróleo, Alagoinhas cresceu bastante economicamente, tornando-se pólo de sua região. Se voltou aos serviços, portanto seu desenvolvimento se deu, principalmente, no comércio, polarizando mais de 30 municípios vizinhos.

Estação de São Francisco

Foi através da Lei nO 641, de 26 de junho de 1852, sancionada pelo Governo Imperial, que se abriu em todo território brasileiro a concessão para companhias que se propuzessem construir estradas de ferro.

Assim foram construídas entre outras, a Estrada de Ferro Bahia ao são Francisco, a Central da Bahia, o ramal do Timbó. A primeira dessas estradas vai contar com verbas Provinciais no prolongamento feito de Alagoinhas a Juazeiro. O empreendimento foi ousado: a construção de uma estrada de ferro ligando a capital da Provincia ao interior. Nos mostra a legislação provincial na Lei nO 450 de 21 de junho de 1852, a concessão "à Companhia composta de membros da Junta da Lavoura e outros Proprietários desta provincia o privilégio exclusivo por 40 annos para abertura de uma estrada..sobrelinhas de madeira ferrada, desta capital para villa de Ju&zeiro". Como não foi levado a frente este empreendimento, o governo imperial concedeu a Joaquim Francisco Alves Branco Muniz Barreto a concesão da construção da referida estrada, mediante a garantia de juros de 5% anuais, segundo o Decreto n° 1299, de 19 de dezembro de 1853.

Dois anos depois, organiza-se em Londres a Bahia and S. Francisco Railway Company a qual se passou os direitos de concesão através do Decreto n° 1615. Com a chegada do capital inglês, no ano seguinte - 1856 foi data do início da construção - quatro anos depois era entregue ao tráfego o primeiro trecho da estrada até Aratu. Nesse mesmo ano os trilhos atingiram o rio Joanes. Grande número de Operários estrangeiros foram usados na obra: 446 italianos, 107 ingleses, 11 alemães, 4 franceses, 2 suiços e 2069 brasileiros.

A 13 de fevereiro de 1863, é inaugurado o trecho Salvador-Alagoinhas num total de 123 km. Continuando sob a administração da companhia inglesa, foi a estrada resgatada em 1901 e arrendada provisoriamente a Jeronymo Teixeira de Alencar Lima e Austricliano Honoria de Carvalho, com a denominação de Estrada de Ferro da Bahia ao S. Francisco. Em 1909 passa a ser conhecida como Companhia Viação Geral da Bahia, da qual é sucessora a Companhia Viação Este Brasileiro. De 1911 a 1935 esteve arrendada a uma Companhia Francesa, sendo depois incorporada ao Governo.

Sua importância cresce com os prolongamentos feitos posteriormente para Juazeiro (1871) e Sergipe (1881), e um marco que ficou até nossos dias foi o importante edifício, construído nos moldes ingleses, para sede da estação em Alagoinhas, além de várias obras d'arte.

Como foi citado, em 1863, foi aberta ao público o trecho ferroviário ligando a capital da província a então Villa de Alagoinhas. "Estas ferrovias construldas por empresas estrangeiras mediante empréstimos com garantia governamental de juros mínimos, além de outras regalias, eram um alto negócio em si mesmas, independente do lucro de operações que viessem a propriciar. Multiplicavam-se por esta razão, ligando os principais núcleos produtivos do interior do país à diversos portos representando um extraordinário progresso para as áreas que atravessavam", escreve com muita propriedade Pietro Maria Bardi no trabalho "Lembranças do Trem de Ferro".

Segundo considerações submetidas Provincial em 1862 dizia o Engenheiro Fiscal:
"O Distrito de Alagoinhas (onde chegará a Via ferrea) ficará sendo o centro para onde serão convergentes os vários dos Districtos que para ali por necessidade e comodo levarão seus productos de exportação e importação as mercadorias que lhes são necessarias, será pois Alagoinhas um entreposto comercial, que exportará pela Via ferrea assucar tabaco, gado de muitas espécies e cereais além de outras muitas produções que fará aparecer o facil transporte pela via".

Uma descrição do município de Alagoinhas feita em 1866, nos diz a seguinte visão:
"Até 1866 a atual cidade constava apenas de umas 4 casas de telha junto ao rio, de um trapiche, das acomodações da estrada de ferro e de uma meia dúzia de casa de palha perto do barracão da dita estrada. Chamavam a esse insignificante lugar simplesmente - a ESTACAO.

A Vila achava-se distante meia légua em posição elevada, no principio de um grande tabuleiro".

Dois anos depois, por Resolução Provincial n° 1013 de 16/04/1868 a sede da Vila foi transferida para o local onde fora erguida a Estação da Estrada de Ferro, distante 3 km. Segundo os relatos publicados sobre Alagoinhas, essa nova povoação teria tido início graças a iniciativas de um alagoinhense chamado Pedro Rodrigues Bastos, que estabeleceu-se comercialmente no ponto terminal da estrada de ferro, sendo seguido por outras pessoas.

Esse núcleo inicial prosperou e a antiga Sede passou a ser conhecida como Alagoinhas Velha.

Para homenagear a comunidade de moradores desta maravilhosa cidade, o Encontra Bahia criou o Encontra Alagoinhas.

Blog do Guia da Cidade de Alagoinhas

Receba notícias por e-mail
Cadastre-se e receba notícias de Alagoinhas por email
 

Limites - Cidades Vizinhas

Inhambupe, Catu, Araças, Aramari, Entre Rios e Teodoro Sampaio.

Dados Principais sobre Alagoinhas

Aniversário: -
Fundação : 1852
Gentílico: Alagoinhense
Area: 733,969 Km²
População 142 160 hab. (2010)
IDH 0,729 - médio
Prefeitura Alagoinhas

Brasão de Alagoinhas
Brasão de Alagoinha

Bandeira de Alagoinhas
Bandeira de Alagoinha

Vídeo sobre a cidade de Alagoinhas

Mapa de Alagoinhas

 

Moradores ilustres de Alagoinhas

 

   

  Sobre o EncontraAlagoinhas
Anuncie no EncontraAlagoinhas
Cadastre sua empresa no EncontraAlagoinhas (grátis)
Fale com EncontraAlagoinhas


Termos do Serviço | Política de Privacidade